gastronomiaverde.com.br

    LOADING
    O Estado de São PauloO GloboCanal FuturaTV BrasilSuper InteressanteNational Geographic

Evento sobre os Caminhos da Sustentabilidade no Food Service apresentou Cases e desafios profissionais

Os caminhos para a sustentabilidade são múltiplos e diversos, podendo ser trilhados de forma plural de acordo com o desafio de cada organização e cada profissional. Essa foi uma das percepções decorrentes das apresentações de palestrantes do evento FOOD SERVICE – OS CAMINHOS DA SUSTENTABILIDADE, realizado no dia 24 de julho, em realização do portal e plataforma CANAL RESTAURANTE, com a curadoria do jornalista Sergio Lerrer.


O evento procurou dar visibilidade às iniciativas de sustentabilidade em desenvolvimento no mercado do setor de alimentação, seja de produtores de alimentos, prestadores de serviços,fornecedores e pelos próprios restaurantes. Muitas vezes são ações cuja dimensão vista deforma isolada não tem a repercussão necessária, mas quando vistas e apresentadas em conjunto com outras, revela o quanto este mercado está procurando fazer sua lição de casa.

São iniciativas com sustentabilidade ambiental, econômica e social.

Daniela Leite mostrou para a plateia seu projeto Comida Invisível, desde seu insight até seu desenvolvimento atual, com o lançamento de um app que pretende unir as duas contas, quem tem sobra de alimentos com quem precisa. É a tecnologia a serviço da eficiência.

Leonardo Lima, Diretor de Sustentabilidade da Arcos Dourados América Latina, mostrou como a rede McDonalds está procurando de maneira assertiva reduzir os impactos ambientais e de emissões de suas lojas e de seus fornecedores, preocupados com a estabilidade de condições climáticas e como afetam a própria produção de alimentos.

Caio Penido, Presidente do GTPS – Grupo de Trabalho da Pecuária Sustentável – mostrou como a pecuária brasileira tem avançado, e ao contrário de outros rebanhos do mundo – está muito atenta com as emissões de gases estuda, manejo e proteção das matas.

Já Patricio Diaz, diretor do programa Masterchef Brasil, passou suas impressões de como os programas de gastronomia tem servido como janela de incentivo à atualização das pessoas na sua alimentação, na sua saúde, na aceitação de culturas diferentes e como uma projeção da própria identidade brasileira.

Luciana Bernardes, diretora de operações da Rede Ráscal, apresentou um programa de ação da marca em relação às boas práticas ambientais, seja no campo dos resíduos, no campo de uso de materiais, na economia de papel e outras iniciativas cujo somatório reduzem enormemente uso de matérias primas ligadas à natureza.

Eduardo Prates, sócio diretor da Eco Circuito, contou sua história de curiosidade e crescimento de interesse pelo desafio de como lidar com o lixo e tudo aquilo que decorre de sua existência,seja descarte, ocupação de espaço, odor, manejo e circunstâncias diretas e indiretas. E de como isso o impeliu a buscar uma solução que considera mais adequada.

Finalizando, Adélia Rodrigues, Coordenadora do Projeto Gastronomia Periférica, apresentou um trabalho social a partir da gastronomia realizado em regiões mais pobres da área sul da cidade de São Paulo. No projeto restaurantes locais são valorizados e jovens encontram espaço para um aprendizado lúdico e profissionalizante.


O jornalista Sergio Lerrer, curador do evento, e coordenador do portal CANAL RESTAURANTE,ressalta que “o importante é darmos visibilidade a estes profissionais e empreendedores, que fazem esforços com ideias novas para atualizar e transformar suas organizações. Nem sempre as próprias organizações percebem, mas são estas iniciativas que rejuvenescem as marcas e reconectam as empresas com a sociedade. Do meu ponto de vista a verdade comercial estará do lado de quem vender bem sem agredir o ecossistema social, ambiental e econômico.”