gastronomiaverde.com.br

    LOADING
    O Estado de São PauloO GloboCanal FuturaTV BrasilSuper InteressanteNational Geographic

ÓLEO DE COZINHA É USADO PARA FABRICAR BIODIESEL E MOVER FROTA LOGÍSTICA

ÓLEO DE COZINHA É USADO PARA FABRICAR BIODIESEL E MOVER FROTA LOGÍSTICA

A Martin-Brower, operadora logística e a rede McDonald's, com o apoio de outras nove empresas envolvidas com o segmento automotivo, está realizando o Projeto Biodiesel, por meio do qual transforma óleo de cozinha usado em combustível para os caminhões utilizados nas operações de distribuição da rede de restaurantes.

O projeto começou a ser idealizado pelas duas empresas no final de 2007 e passou a ser testado na metade do último ano. Em fase de implementação por enquanto a operação abrange 20 restaurantes (começou com 17), todos em São Paulo, e utiliza quatro caminhões que usam uma unidade de abastecimento dos caminhões da Shell.

Ao realizar a entrega de produtos nestas 20 unidades, a Martin-Brower coleta o óleo usado, armazenado em embalagem com capacidade para 20 litros. Batizada como bombona, ela foi especialmente desenvolvida para ser encaixada embaixo das fritadeiras e evitar o vazamento e desperdício do óleo, além de ter sido projetada com design que permite o empilhamento e facilita o transporte nos caminhões.

Uma vez coletada, a bombona é levada até a base da Martin-Brower em Osasco/SP. Lá, o óleo é descarregado e armazenado para, em seguida, ser levado à usina da empresa parceira SPBio, em Sumaré, SP, onde é tratado e transformado em biodiesel. Feito isto, a SPBio transporta o combustível pronto para abastecer os caminhões, os quais voltam para estrada para repetir todo o ciclo, no que o projeto chama de Circuito Fechado.



Do início dos testes em junho de 2009 até maio último, o programa já havia produzido 59.650 litros de B20 e 2.302 litros de B100, totalizando 61.952 litros de mistura, tendo rodado mais de 200.000 km.

As empresas parceiras pretendem planejar a ampliação do projeto na planta da Martin-Brower em Osasco e também nas regiões Nordeste e Sul do Brasil, além de planejar a construção de uma usina própria para produção do combustível e criar um programa de crédito de carbono. Anualmente os restaurantes McDonald's espalhados pelo Brasil – cerca de 580 – utilizam algo em torno 2,7 milhões de litros de óleo para fritura. O intuito é que o Projeto abranja todos os CDs da Martin-Brower no Brasil – São Paulo, Recife, PE, e Curitiba, PR – e, ao destinar todo esse material para a produção de combustível, será possível produzir aproximadamente 1,8 milhão de litros de biodiesel, o que representaria 40% do total de consumo de diesel da frota nacional da Martin-Brower, que é de 4,5 milhões de litros/ano.

O objetivo, desde o início da implementação, tem sido elevar a consciência do nível geral de sustentabilidade na cadeia de valor, reduzindo a emissão de gases de efeito estufa, valorizando um produto que até então era tido como um resíduo e diminuindo os riscos do descarte incorreto do óleo.Dois dos grandes atributos desta iniciativa é que este projeto não está desmatando um centímetro sequer e não está retirando alimento da boca de ninguém. Não está sendo utilizada cana-de-açúcar ou algo que poderia servir de alimento. Utilizado, sim, o óleo usado que seria descartado. Além de ser bom para o meio ambiente, é também um projeto que traz ganhos econômicos.