gastronomiaverde.com.br

    LOADING
    O Estado de São PauloO GloboCanal FuturaTV BrasilSuper InteressanteNational Geographic

Em Porto Alegre a rede Habibs por enquanto não pode vender esfihas

Em Porto Alegre a rede Habibs por enquanto não pode vender esfihas

O serviço de vigilância sanitária de Porto Alegre proibiu nesta quinta-feira a comercialização de esfihas em todas as lojas do Habib's na cidade. A medida foi tomada depois que um laudo revelou que os recheios de carne, espinafre e queijo das esfihas, vindos de uma central em Canoas (região metropolitana de Porto Alegre), continham bactérias que causam diarreia, vômitos e até aborto.

A proibição, segundo a Secretaria de Saúde de Porto Alegre, vale apenas para os recheios vindos desta central. O Habib's pode continuar vendendo outros produtos normalmente, inclusive esfihas, desde que seu recheio não venha de Canoas. Segundo Paulo Casa Nova, chefe da equipe de vigilância de alimentos em Porto Alegre, a contaminação foi revelada depois que uma família registrou queixa na vigilância sanitária, no último dia 16.

Os três clientes fizeram um lanche no Habib's do bairro Floresta, em Porto Alegre, no dia 14 de abril, e passaram mal em seguida, apresentando vômitos e diarreia.
Notificada, a Vigilância Sanitária colheu, no último dia 17, amostras dos alimentos ingeridos na loja. Os exames feitos pelo Lacen (Laboratório Central do Estado) mostraram que os recheios das esfihas tinham três tipos de bactérias patogênicas: Listeria monocytogenes, Escherichia coli e Bacillus cereus.

Casa Nova esclarece que a proibição da comercialização do recheio é uma medida preventiva. Agora, uma equipe da vigilância sanitária deve fazer uma vistoria da central em Canoas, para verificar se há contaminação nos alimentos produzidos no local. "O problema pode ter sido em um lote, apenas. Se estiver tudo bem [na central em Canoas], volta tudo ao normal", afirma o médico.

O Habib's informou que os recheios das esfihas estão vindo agora da central da loja em Curitiba, fiscalizada pelo serviço federal de vigilância sanitária. Em nota, a rede afirmou que o fato é "um caso isolado" e reforçou que todo o processo de produção e manuseio dos alimentos é acompanhado por "uma equipe que envolve profissionais técnicos e ligados ao segmento da saúde".

O Habib's foi autuado pela Vigilância Sanitária de Porto Alegre e passará agora por um processo administrativo. Ao término do processo, a empresa poderá ser punida com advertência, multa ou até mesmo interdição.

Fonte: jornalismo / UOL